Bem-vindo, terceiro trimestre!

27semanas

Hoje, começamos a terceira e última fase da gravidez. Faltam apenas 91 dias (em tese) para conhecermos a carinha de Marina. Eu, que até esse momento tive uma gestação muito, muito tranquila (em comparação ao que ouço de outras grávidas), só agora começo a sentir o peso de verdade de estar com um pequeno ser humano sendo construído aos poucos dentro de mim. Subir uma simples escada ou fazer o trajeto do trabalho para casa de ônibus (e olha que o escritório fica pertinho, a uns 4 km de distância apenas) ou organizar o quarto já se tornam atividades muito mais cansativas do que antes. Termino qualquer uma delas ofegante, com a respiração curta e louca para sentar. Porém, sentar por muito tempo também me lembra das dores na costas. De acordo com o que tenho lido, sinal de que o peso da barriga alterou o centro de gravidade do meu corpo e de que meus ossos se preparam para abrir espaço, facilitando a saída do bebê.

Apesar de tudo isso, é muito bom saber que falta tão pouco. Ao mesmo tempo, esse “pouco” me parece uma eternidade. Os sentimentos são mesmo contraditórios. Quero que passe rápido, mas sei que vou sentir falta da minha barriga. Quero conhecer Marina, mas que atire a primeira pedra a mãe que não fica preocupada ou não tem um medinho da hora do parto.

Separei aqui alguns dos sintomas do terceiro trimestre. Embora eu ainda não tenha todos e nem sei se terei, fica a lista para as mamães saberem o que podem esperar dessa fase de reta final:

– Chutes, movimentos intensos e até soluços – no sétimo mês, os bebês se movimentam bastante e, de vez em quando, soluçam. Os pulinhos em intervalos regulares são normais, apesar deles respirarem líquido amniótico e não ar. Já nos últimos dois meses, o espaço fica apertado e as mexidas podem ser dolorosas para as mães. O famoso pezinho na costela é um clássico.

– Dores nas costas e na bacia – é o seu corpo se preparando e dando espaço para a expulsão do nenenzinho.

– Mais aumento dos seios e expulsão de colostro – Os seios novamente começam a crescer e é possível que soltem um líquido meio branco, meio amarelo, o colostro. É isso que o seu bebê vai tomar nos primeiros dias depois do parto.

– Ansiedade/medo – A aproximação do grande dia tira noites de sono das futuras mamães e isso é completamente normal. Se sua vida já mudou tanto até aqui, imagina o que vai acontecer quando tiver um pequeno nenenzinho dependendo só de você em casa?

– Falta de ar – O tamanho de útero pode pressionar os pulmões e o diafragma, causando esse sintoma.

– Refluxo – Também se deve ao aumento do útero, que pressiona o estômago e dificulta a digestão.

– Liberação involuntária de urina – Ou, pequenas quantidades de xixi na calcinha, geralmente ao rir ou espirrar. Esse é mais um sintoma que vai para a conta do útero. O crescimento do órgão pressiona a bexiga.

– Contrações de mentirinhas – Na verdade, para algumas mulheres, elas já começam na metade da gravidez. São as chamadas contrações de Braxton-Hicks. A barriga endurece e volta ao normal, em um treinamento do corpo para o trabalho de parto.

Cada grávida é única e cada bebê também. Por isso, os sintomas variam muito. Há quem sinta muito mais que isso e há quem não sinta nem a metade. O importante é se cuidar, fazer o acompanhamento médico devido e se preparar para a chegada do bebê. Pelo menos, é o que estou tentando fazer. O mais difícil tem sido controlar a ansiedade. Parece que o tempo começou a passar mais devagar. Mas a gente chega lá!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s