Vá pra feira

va-pra-feira-2Quando eu era criança, houve um tempo em que eu, meus pais e minha irmã morávamos na casa dos meus avós. Seu Jaime, meu saudoso avô, costumava ir à feira às terças e sextas, quando também não ia de quinta. Todos esses dias, ele voltava com o carrinho cheio de frutas, legumes e verduras. Parecia até que moravam umas 60 pessoas em casa e não 6. Um exagero só. Mas, português, veio da Europa em tempos difíceis, de escassez… Acho que aquela abundância toda de comida significava que nada faltaria à mesa dele de novo. De vez em quando eu ia junto, comia um pastel, experimentava umas frutinhas, ouvia a gritaria e observava o colorido das barracas. Tinha até uns suquinhos bem vagabas que eram vendidos em embalagens de plástico – também bem vagabas – no formato de carrinhos, arminhas e sei lá mais o que. Minha vó comprava até os vestidos dela na feira! Tô velha. Tempo bom…

Até que eu cresci e passei a viver em um mundo em que as compras eram feitas em grandes supermercados. Às vezes até no meio da madrugada. Por que não? Mas, sei lá, não tinha a mesma graça. Onde estavam as cores? Os pedacinhos de frutas pra provar que “essa é da boa, senhora”, os gritos de “olha a laranja, laranja, laranja é 1 real? Cadêêê? Confesso que na verdade, com tanta correria, eu esquecia tudo isso. Só comprava lá aquelas verduras murchas, as frutas sem gosto e os legumes básicos e pronto. Colocava tudo no porta-malas do carro e voltava correndo pra casa.

Um dia, encontrei uma matéria no site da revista Super Interessante sobre o Movimento Vá Pra Feira. E aí, como dizem nos comerciais dos aparelhos revolucionários de ginástica da Polishop, minha vida mudou. De novo. Li sobre a importância das feiras de rua, quase em extinção, para o espaço público, sobre a riqueza cultural, sobre como elas favorecem os produtores locais e os pequenos comerciantes… Mas, como diz minha amiga Gabriella Galvão, “neeeem vou mentir”: resgatei mesmo foi toda aquela nostalgia da infância e mudei. Pensei: “Quer saber? Por que não?” E desde então tenho voltado ao tempo do meu avô. Tenho ido à feira de novo. Os produtos são bem mais saborosos, dá para pechinchar, é tudo mais divertido, tudo mais como antigamente. Vale muito a pena!

Além do mais, por serem mais fresquinhos do que no supermercado, onde ficam armazenados em geladeiras por muito mais tempo, os legumes, as frutas e as verduras têm um aspecto mais saudável.

va-pra-feira-3

Uma vez li não lembro onde que quanto mais curto o caminho percorrido entre a terra e a nossa mesa, mais saudáveis e cheios de vitaminas são os alimentos. Então, quando eles passam por processos que incluem colher, transportar, refrigerar, expor, refrigerar de novo, congelar, etc, acabam se enfraquecendo. A feira encurta esse processo. Ainda não é o ideal, já que muitas plantações têm agrotóxicos e tudo mais. Mas é um atalho, não é?

E nem preciso comentar a importância de todos os nutrientes encontrados em produtos naturais para nós, grávidas, e para as crianças, certo?

Experimente! Vá à feira! Mas tome cuidado: você pode se tornar uma viciada, como eu, e nunca mais conseguir comprar vegetais no supermercado.

Aqui tem um vídeo do Movimento Vá Pra Feira, que fala mais sobre o assunto:

Anúncios

5 opiniões sobre “Vá pra feira

  1. Pingback: Planejamento de refeições: não é frescura (juro!) | Casa, cozinha e fralda trocada

  2. Pingback: Café da manhã no parque | Casa, cozinha e fralda trocada

  3. Conheci hj seu blog e amei!! isso pq nem sou mãe ou gravidinha! mas me diverti com seus posts, uma delicia de ler! enfim! eu amo feira, e ‘redescobri’ e voltei a frequentar dps de acompanhar minha mae na adolescencia, pois onde estou morando agora, aqui perto tem uma boa feira de sábado e há alguns meses passaram a fazer de terça feira no mesmo local a feira noturna…. que deliciaaaaa!!! é uma loucura… começa antes das 5 da tarde e vai até 10 da noite!! e ferveeee de gente! e ainda há uns 10 min de carro tem a feira do ceagesp e de quarta a feira noturna de lá… essa semana, me peguei experimentando um abacaxi na feira de tao boa propaganda q o rapaz fez, sendo q nao como abacaxi… rsrsrsrs… mt bom! vou acompanhar seu blog e o desenvolvimento da gravidez da Marina! Fique com Jeová!

    • Oi, Alice!

      Que bom que gostou do blog. Ir à feira é mesmo muito legal. Espero que elas não acabem e que as pessoas redescubram o prazer de comer bem.

      Obrigada pelo comentário.

      Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s